A ameaça do Zika pode ser maior após caso de natimorto em Salvador

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Médicos acreditam que a ameça do Zika vírus pode ser ainda maior para os bebês que estão por nascer. Após examinarem uma menina que nasceu morta, averiguaram que ela estava infectada pelo Zika. Além de atacar o sistema nervoso do feto, pode causar inchaço e a morte no ventre.  O caso foi relatado na PLOS Neglected Tropical Diseases, em 25 de fevereiro de 2016.

Na 32ª semana de gestação, averiguaram a morte do feto e induziram o parto. Notaram que apresentava uma cabeça anormalmente pequena, havia pouco tecido cerebral e muito líquido no crânio. Além disso, verificou-se edema em várias partes do corpo.

A microcefalia tem sido associada ao Zika, mas é a primeira vez que é relacionado a casos de edema e morte no útero. No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, 5.640 casos de microcefalia já foram constatados desde que o vírus começou a se espalhar ano passado, sendo que 950 foram descartados, 583 confirmados e o restante caminha sob investigação 1

O caso da menina aconteceu na cidade de Salvador, na Bahia, sua mãe, de 20 anos, fez um exame de ultrassom na 18ª semana e o médico notou que o bebê tinha parado de crescer. Outros exames foram feitos entre o segundo e terceiro trimestre, mostrando que os problemas tinham se extendido. Essa mãe deu a luz a uma menina de apenas 930g.

A mãe da menina não havia apresentado nenhum dos sintomas do Zika, mas segundo Albert Ko,  epidemiologista da Universidade de Yale, somente três quartos (3/4) das pessoas que são infectadas não costumam apresentar sintoma algum.

A mãe também fez exames para outras doenças, como HIV e Hepatite C, que deram negativo. Após a menina nascer, verificou-se que o feto estava infectado por esse vírus, estando presente no líquido aminiótico, cérebro e medula.

journal.pntd.0004517.g001
A. Corte axial do cérebro que apresenta microcefalia e hidranencefalia. B. Destruição de parte do cerebelo e edema nucal. C. Tórax com derrame pleural bilateral. D. Edema subcutâneo e no abdômen (ascite).

O gene encontrado do Zika é de origem asiática, similar aos encontrados na Polinésia Francesa e Suriname. Quando houve o surto de Zika na Polinésia Francesa entre 2014 e 2015, o número de casos de crianças com má formação no cérebro coincidentemente aumentou, sendo pelo menos 17 casos reportados. Quatro destas mães foram testadas para Zika e tiveram resultado positivo.

Apesar do Brasil ser o único país a reportar os casos de microcefalia no momento de surto de Zika, tanto a Polinésia Francesa, como El Salvador notaram que houve crescimento da microcefalia em seus países. Também desconfiaram da ligação do crescimento dos problemas neurológicos em adultos, como Guillain-Barren, complicação que causa paralisia temporária.

Segundo Ko, o caso desse feto serviu de alerta para que talvez o Zika, além de atuar no sistema nervoso central, possa causar edemas (inchaços) e levar a morte ainda no útero. Ainda é necessário mais estudo, pois este pode ser um caso isolado. No entanto, deve-se considerar que o vírus causa o acúmulo de líquidos em crianças, levando a casos severos de edemas.

A Organização Mundial de Saúde decretou que o Zika é uma crise mundial, podendo ser a maior ameaça a saúde pública atualmente, ainda mais por se tratar de um grupo de alto risco (grávidas e bebês).

Parece que estamos apenas no início, ainda há muitas coisas para conhecermos sobre esse vírus. Cabe agora observar os casos de natimortos em todas as regiões infectadas pelo vírus, assim como os casos de abortos espontâneos para tentarmos elucidar os mistérios de um vírus que parece ter uma grande magnitude e alta capacidade de se espalhar. E, nós, brasileiros, esperamos que o Brasil realmente tome as medidas necessárias para proteger esses cidadãos que ainda nem nasceram!

Já falamos aqui do caso da eslovena que morou no Brasil e seu feto apresentou o Zika calcificado no cérebro, relembre o caso aqui: Zika vírus encontrado em cérebro de feto

 

Abaixo vocês encontram matérias interessantes e o artigo relando o caso.

http://journals.plos.org/plosntds/article?id=10.1371/journal.pntd.0004517

http://www.sciencemag.org/news/2016/02/worries-about-brain-damage-infants-linked-zika-leads-who-declare-public-health

http://ecdc.europa.eu/en/press/news/_layouts/forms/News_DispForm.aspx?ID=1329&List=8db7286c-fe2d-476c-9133-18ff4cb1b568&Source=http%3A%2F%2Fecdc.europa.eu%2Fen%2FPages%2Fhome.aspx

  1. http://combateaedes.saude.gov.br/images/sala-de-situacao/informe_microcefalia_epidemiologico14.pdf
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter