As Verdades do Uso do Papel

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Um dos principais problemas do mundo moderno é o acúmulo de papel. A promessa de uma sociedade sem papel, que utiliza recursos digitais para se comunicar e registrar suas informações ainda é ficção científica.

Ainda que existam esforços para reduzir o seu uso, esse material ainda é praticamente onipresente na nossa vida, desde guardanapos até jornais e livros. Só no Brasil, em 2013, foram produzidas 10 milhões de toneladas de papel 1.

Entre os impactos ambientais da produção desse material o maior diz respeito a plantação do eucalipto. Hoje 100% da produção do papel no Brasil vem de plantações em área de reflorestamento. Embora isso pareça algo bom na teoria, na prática brasileira isso significa a instalação de extensas monoculturas, vastas áreas onde apenas o eucalipto é plantado.

Plantação de Eucalipto

Segundo estudos, o Eucalipto é uma das culturas que mais consomem água, devido ao seu rápido crescimento 2. O principal impacto desse consumo seria a perda dos nutrientes do solo, tornando-o infértil. Além disso, é possível que a plantação de eucalipto possa drenar fontes de água em suas proximidades 3

Além disso, a produção de papel utiliza uma grande quantidade de água. Embora indústrias mais modernas consigam utilizar “apenas” 30.000 litros para a produção de uma tonelada, ainda existem aquelas que empregam até 100.000 litros. 4.  Para se ter uma ideia do que isso representa, o consumo médio de uma casa com quatro moradores é de 22.000 litros por mês5.

Uma boa notícia a respeito desse problema é o fato de que o papel é um material que pode ser reciclado. A cada 50 quilos de papel reciclado, uma árvore deixa de ser cortada 6. Estamos em um bom caminho, nesse sentido. Segundo o IPT, em 2011, o Brasil conseguiu aproveitar 53% de todo o papel disponível para reciclagem produzido naquele ano. Embora seja um número relativamente alto, isso significa que 47% dos papéis recicláveis foram parar em lixões e aterros pelo país.

Ainda há muito a ser feito e ao menos em parte, é possível ajudar de alguma forma. Uma excelente ferramenta para isso é o site Rota da Reciclagem, onde você insere seu endereço e ele indica os pontos de entrega voluntária mais próximos de você, além de cooperativas e pontos de comércio que compram embalagens longa vida.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter