O Câncer de Pâncreas na verdade são 4 doenças

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Atualmente, apenas 20% dos pacientes com câncer de pâncreas sobrevivem um ano após a descoberta da doença. Qualquer passo para um tratamento mais preciso é crucial na vida desses pacientes e a recente descoberta dos pesquisadores da University of Glasgow, que foi publicado pela Nature, pode mudar o prognóstico de cada desses pacientes.

Esse cientistas descobriram que o câncer de pâncreas são quatro doenças distintas, sabendo-se disso, permitirá que o diagnóstico seja feito com mais eficiência e os tratamentos mais direcionados e efetivos. Atualmente os médicos têm pouco esclarecimento do que é mais efetivo para cada paciente.

No local de estudo, o Reino Unido, todo ano são diagnosticadas 8.800 pessoas com esse tipo de câncer e só 20% sobrevive ao primeiro ano, 5% aos primeiros 5 anos e apenas 1% sobrevive após dez anos.

Evolução do câncer do pâncres
Primeiro vemos o pâncreas saudável, depois duas evoluções das lesões até chegar ao tumor maligno. Crédito: Pogue-Geile KL et al.

Enquanto no Brasil, segundo o Instituto Nacional Câncer (INCA), o cancêr pancreático é responsável por 2% dos tipos de câncer e por 4% das mortes pela doença. Em 2013, foram 8.710 mortes causada por essa enfermidade.

No estudo feito pela University of Glasgow, foram avaliados 465 tumores de pâncreas e identificados os seguintes subtipos: escamoso, progenitor pancreático, imunogênico e ADEX (exócrina endócrina aberrantemente diferenciada).

Na pesquisa, encontraram peças-chave nos tecidos de cada subtipo:

  • Escasmoso: gene associado ao tumor similar ao da mama, cabeça, pulmão, pescoço e bexiga;
  • Progenitor Pancreático: rede de gene que regula o início do desenvolvimeto embrionático do prâncreas;
  • Imunogênico: tem muitas similaridades com o progenitor pancreático, mas com significante infiltração imunológica;
  • ADEX: rede transcripcional, que é importante em vários estágios de desenvolvimento e diferenciação pancreática.

Segundo o Professor Sean Grimmond, que liderou a pesquisa, já existem algumas drogas disponíveis para o tratamento do câncer e que outras estão em desenvolvimento.

A partir desse estudo, averigou-se que o câncer de pâncreas deve ser tratado como quatro diferentes doenças, com diferentes taxas de sobrevivência, tratamentos e sob diferentes condições genéticas.

Podemos citar aqui casos famosos dessa doença agressiva, como Steve Jobs, Patrick Swayze, Raul Cortez e Luciano Pavarotti.

A pesquisa dá nova esperança de tratamento, diagnóstico mais cedo e, felizmente, que esses pacientes tenham a chance de sobreviver.

 

Artigo: http://www.nature.com/nature/journal/vaop/ncurrent/full/nature16965.html

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter