Um novo caminho para o Submundo Maia: Passagem embaixo de ruína é encontrada

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Parece que mesmo depois de tantos séculos os maias ainda nos surpreendem e agora não foi diferente. Nas ruínas de Palenque, no México, que datam do século VII, existe o Templo das Inscrições com sua bela forma piramidal. Dentro desse templo encontra-se a tumba de Pakal e até aí nenhuma novidade para os mexicanos, a grande surpresa foi a descoberta de um túnel logo abaixo do templo.

Templo das Inscrições
Templo das Inscrições. Crédito: Jan Harenburg./ CC 3.0

Águas e mais águas. Era assim que Pakal, o governante da época, guiou seu caminho para o submundo.  O túnel não tava lá vazio dando bola, ele servia como uma passagem de água. Acredita-se construíram propositalmente a pirâmide e a tumba em cima de um fonte de água para que Pakal encontra-se o submundo, o Além mais fácil!

Quando falamos de civilizações antigas, sempre aparecem as teorias mais estranhas possíveis. Na década de 1940, ao descobrirem o sarcófago de Pakal, achavam que um desenho seu esculpido mostrava o governante numa suposta nave espacial. Os ets construíram as pirâmides?! Calma, calma! A descoberta do túnel das águas, se assim posso chamá-lo, ajudou a desvendar melhor esse mistério. Encontraram uma inscrição que orientaria Pakal ao submundo e que as águas iriam recebê-lo (rá, águas!).

Tampa da tumba de Pakal
Tampa da tumba de Pakal: o desenho que acreditavam ser dele como astronauta. Crédito: Madman2001/ CC 1.0

Falando nessas teorias (malucas), na posição que acreditavam ser a do astronauta na nave, Pakal estaria coberto de chamas. Mas as tais chamas nada mais seriam que a “Árvore do Mundo”, ou a “Árvore da Vida”, e suas raízes alcançariam o submundo.

Não é o primeiro caso com túneis de água. Em Teotihuacan, há um que significa o ciclo da vida, do princípio ao fim. E nesse caso também, ainda o sistema de água funciona.

A descoberta: do susto a surpresa

A descoberta de Palenque se deu devido a detecção de um geo-radar que encontrou algumas anomalidades. E aí bateu o medinho! Será que economizaram nos materiais de construção e só vai durar mais um século? Colocaram areia de praia nesse prédio (só quem era vivo na década de 1990 vai entender)? Enfim, ninguém queria correr riscos com um monumento histórico e em 2012 começaram as pesquisas.

Máscara mortuária de Pakal.
Máscara mortuária de Pakal.Crédito: Wolfgang Sauber. / CC3.0, CC2.5, CC2.0 e CC1.0.

Quando começaram escavações, retiraram três camadas compactadas de pedras cobrindo o topo do túnel, que foram tiradas meticulosamente. Este tipo de camada justaposta foi encontrada na tumba de Pakal, dentro da pirâmide.

Ainda vamos ouvir mais histórias desse túnel que ainda não foi completamente explorado. A pequena parte aberta foi explorada com um robô.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter